Título 1

12 DE NOVEMBRO DIA DO PSICOPEDAGOGO.

A psicopedagogia, como o próprio nome já sugere, vem da união dos saberes de duas áreas, a psicologia e a pedagogia.

 

Mas a verdade é que se trata de um campo ainda mais multidisciplinar, que aborda conhecimentos da antropologia e até mesmo da neurologia.

Com origem na Europa, a psicopedagogia surgiu como uma forma de trazer respostas às dificuldades de aprendizagem e suas conexões com as disparidades sociais.

Os primeiros centros psicopedagógicos foram criados em 1946 por Juliette Favez-Boutonnier e George Mauco.

A ideia proposta era a de conhecer não só a criança, mas também o meio no qual ela estava inserida, como forma de determinar ações reeducadoras.   

A corrente européia, posteriormente, exerceu influência direta no desenvolvimento da psicopedagogia na Argentina sendo, mais tarde, Buenos Aires a primeira cidade a oferecer o curso de formação na área.

Até hoje a classe dos psicopedagogos lutam para que essa profissão seja regulamentada, porém a graduação é reconhecida, mas o registro ainda não é possível obter.

Nas escolas, ele pode tanto ajudar a identificar as dificuldades apresentadas pelos alunos quanto auxiliar na escolha de métodos mais eficientes de ensino ou até mesmo no aperfeiçoamento do currículo escolar.

Já nas empresas, a psicopedagogia tem como objetivo aumentar a absorção de conteúdos e, é claro, melhorar a desempenho dos colaboradores.

Também é possível que esse profissional crie sua própria clínica ou consultório, atendendo conforme sua disponibilidade e foco, tanto no âmbito clínico quanto institucional.

Outra opção é prestar assessoria a empresas e até mesmo a órgãos públicos.

Comissão da Educação Inclusiva

Presidente: Maria Carolina Gomes Fonseca

Vice-Presidente: Leia Flauzina da Silva de Albuquerque

Associação Nacional e Internacional de Imprensa - ANI
anicomunicacao@gmail.com | @anibrpress
Rua Santa Luzia, 776 Gr. 903 | Rio de Janeiro / RJ - BRASIL

Copyright © ANIBRASIL.ORG.BR - 2015-2020 

All rights reserved.

Editor: Roberto Monteiro Pinho