Simpósio Internacional discute a Mídia Social e a diferença entre jornalistas e ativistas

Journalism in the Americas – Universidade do Texas/Fórum de Austin*

passapalavra.info

...) Jake Horowitz, fundador da Mic.com, ecoou esse sentimento de indefinição das duas categorias, enquanto sublinhou que a distinção é importante. Ele salientou que a mídia social tem desempenhado um grande papel no sentido de tornar as diferenças menos clara, especialmente por jornalistas usarem diferentes plataformas para relatar e compilar histórias.

A questão de qual é a diferença entre jornalismo e ativismo criou uma animada discussão durante um painel no Simpósio Internacional de Jornalismo Online (ISOJ). Painelistas concordaram que embora a linha entre os dois tenha se tornado mais difícil de discernir dadas as mídias sociais de hoje em dia, ainda existem algumas diferenças importantes e fundamentais entre jornalistas e ativistas.

A discussão foi iniciada pela painelista Pam Fine, presidente da Sociedade Americana de Editores de Notícias (ASNE), professora de jornalismo na Universidade de Kansas e Knight Chair de Noticías, Liderança e Comunidade. Pam Fine destacou como a ênfase para os jornalistas mudou ao longo do tempo – desde destacar a objetividade ao "esforço para ser justo e preciso".

No entanto, com as mídias sociais, as expectativas dos leitores também mudaram - especialmente a geração milênio, as pessoas nascidas entre o início dos anos 1980 e os anos 2000.

Joel Simon, diretor-executivo do Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ), começou a falar sobre o porquê de diferentes partes interessadas se preocuparem com as diferen